+

Folder
digital

Notícia

 

05/12/2018
Os desafios logísticos para o desenvolvimento econômico do Ceará
Logística para reduzir os custos da empresa e, consequentemente, aumentar a competitividade da indústria. Expansão do negócio para outros países. Esse ciclo faz a roda da economia girar. E os efeitos chegam à sociedade por meio de novos investimentos e geração de empregos. A avaliação é que o Ceará tem avançado neste aspecto com o hub aéreo e a parceria com o porto holandês de Roterdã. Mas ainda há gargalos. A falta da Transnordestina, iniciada em 2010, é exemplo. Após atrasos na obra, o ramal do Pecém deve ser concluído somente em 2022.

A ferrovia interligará a plataforma cearense ao porto de Suape (PE) e deve ampliar o número de transportes de cargas no Estado, permitindo um processo intermodal para a escoação de mercadorias. Danilo Serpa, presidente da Companhia de Desenvolvimento do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp S.A.), diz que é fundamental que a Transnordestina chegue. "Só nos cinco primeiros anos, serão transportadas mais de 6 milhões de toneladas de cargas pela linha", projeta."

Segundo Danilo Serpa, o Porto do Pecém terá duas novas linhas até fevereiro próximo. A negociação ocorre em sigilo com países da Ásia e Europa.

Fonte: O Povo

voltar