+

Folder
digital

Notícia

 

10/05/2019
Balança comercial do Ceará registra evolução de 140% nos quatro primeiros meses de 2019

A balança comercial cearense registrou uma alta de 140,7% na comparação entre os períodos de janeiro a abril de 2019 e 2018, apresentando, neste ano, um superávit de 64,747 milhões de dólares. Nos quatro primeiros meses de 2019, o Estado exportou um total de US$ 735,186 milhões, o que representa um aumento de 15% ante o resultado de 2018.

Os dados são do estudo Ceará em Comex, promovido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). O levantamento também revela que, em 2019, as importações do Estado tiveram uma queda de 16% em relação aos quatro primeiros meses do ano passado. Ao todo, as importações somaram US$ 670,439 milhões.

Em 2018, a soma do valor dos produtos importados se aproximou do patamar de US$ 800 milhões, ficando em US$ 798,072 milhões. No período em questão, o saldo balança comercial terminou negativo, com um déficit de US$ 158,999 milhões.

Recuo mensal

Contudo, considerando apenas o mês de abril, o Ceará fechou com um saldo negativo de cerca de US$ 20,768 milhões, tendo registrado uma alta de 66,8% no valor das importações (US$ 196,581 milhões) ante 2018. Os produtos vendidos para fora do País somaram, em abril de 2019, US$ 175,812 milhões.  

Em 2018, em abril, o saldo da balança comercial também fechou negativa, com um déficit de US$ 34,943 milhões. No período em questão, as exportações fecharam em US$ 150,026 milhões, enquanto as importações somaram US$ 184,970.

Referência local

Mesmo com o resultado negativo no mês passado, o Ceará ainda permaneceu como o terceiro maior exportador do Nordeste. O estado representa 15,2% de todo o valor arrecadado com produtos enviados ao exterior pela Região. Já nas importações, o cenário é de redução nos últimos anos, com a representação regional cearense passando de 13,5% do total, em 2015, para 10,6% em 2019.

De acordo com o estudo da Fiec, essa movimentação é justificada pelo crescimento dos negócios relacionados a siderurgia no Estado, influenciado pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), por exemplo.

Participação

O município de São Gonçalo do Amarante continua sendo responsável por mais da metade (51,9%) de tudo o que o Ceará exporta. Sede do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, a cidade exportou, de janeiro a abril de 2019, US$ 379,3 milhões, registrando uma evolução de 14,2% ante igual período de 2018.

Já a capital cearense registrou alta de 6,3% na mesma base de comparação, somando US$ 49,7 milhões exportados.

Fonte: Diário do Nordeste

voltar