+

Folder
digital

Notícia

 

09/04/2019
Aumentar a competitividade do país no cenário internacional é meta do Ministério para os próximos 4 anos

Planejamento estratégico 2019-2022 foi apresentado pelo ministro da Infraestrutura para servidores da Casa nesta segunda-feira (8)

Ser líder em termos de infraestrutura na América Latina. Esse é um dos objetivos do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para os próximos anos à frente da Pasta. A afirmação foi feita no evento de lançamento da Planejamento Estratégico do Ministério da Infraestrutura, nesta segunda-feira (8), em Brasília (DF). O plano está representado no novo Mapa Estratégico, instrumento com as diretrizes do ministério para a gestão de 2019 a 2022.

“Hoje o Brasil ocupa a 9ª posição em termos de qualidade de infraestrutura no continente e nós temos que transformar esse cenário. Então esse é o desafio que tem que nos mover e é por isso que vamos encarar este planejamento estratégico com toda força e energia para fazê-lo sair do papel”, afirmou o ministro. “Nossa meta é superar os desafios que teremos para cumprir a missão da instituição e atingir a sua visão de futuro. Temos uma série de iniciativas que vão transformar a logística no Brasil”, completou.

Dentro das diretrizes do novo planejamento estratégico da Infraestrutura, o secretário executivo, Marcelo Sampaio, destacou as próximas metas e a desburocratização do setor. “Diminuir o peso do estado sobre o cidadão e o setor produtivo é um objetivo do Governo Federal. Nessa perspectiva, queremos criar novos mecanismos a partir da perspectiva de ganho de valor para a sociedade”, avaliou.

Outra meta estabelecida é a questão da governança e gestão do órgão. O secretário explicou que será implantado, dentro da gestão estratégica, um canal de comunicação direta e eficiente que irá dialogar com suas entidades vinculadas, fortalecendo instrumentos de gestão e controle, buscando o alinhamento de ações e do emprego eficiente dos recursos públicos. “Vamos trabalhar com Programas de Prevenção à Corrupção e de fortalecimento da capacitação do corpo técnico, além de melhorias da qualidade de vida no trabalho. O avanço na tecnologia da informação corporativa e automatização de processos também serão contemplados”, finalizou.

O documento, que teve como base a Política Nacional de Transportes (PNT), é fruto do trabalho de diversas secretarias do Ministérioda Infraestrutura e servirá como referencial para os gestores na condução eficaz das políticas da instituição.

Fonte: Ministério da Infraestrutura

voltar