+

Folder
digital

Notícia

 

22/04/2020
Cais pesqueiro do Porto de Fortaleza receberá R$ 10 milhões em investimentos

O cais pesqueiro do Porto de Fortaleza receberá investimentos R$ 10 milhões para a infraestrutura e construção de uma indústria pesqueira. O Ministério da Infraestrutura, por meio da Companhia Docas do Ceará (CDC), assinou o contrato de concessão do equipamento com a Compex Indústria e Comércio de Pesca e Exportação Ltda. – empresa vencedora do pregão eletrônico aberto pela CDC em março.

Este é o segundo ativo repassado à iniciativa privada em 2020. No total, a empresa vai arcar com R$ 3,4 milhões em outorgas ao longo dos 20 anos de contrato. A expectativa é que as obras sejam iniciadas no segundo semestre e que as operações se iniciem em março de 2021.

Entre as intervenções que serão feitas, estão demolição de um prédio de três andares, melhorias no cercamento da área, além da construção da indústria de pescado em si, com câmaras de frigorífico, e locais para armazenagem e processamento de peixes vermelhos e lagostas, que seguem para exportação, em contêineres, para cerca de dez países, com destaque para Estados Unidos, Austrália e China. A indústria deve gerar cerca de 300 empregos diretos e indiretos.

De acordo com o ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o programa de concessões segue o seu cronograma e o interesse do investidor privado em nossos ativos continua. "Este é o primeiro leilão que fazemos para este tipo de empreendimento e um bom indicativo da atratividade de nossa carteira para o pós-crise”, disse.

“A concessão é importante para a CDC porque deixamos de ter uma área ociosa dentro do terminal, que só gerava custos e, agora, passaremos a ter receita. Essa é a primeira área rentável dentro do Porto de Fortaleza”, avalia a diretora-presidente, Mayhara Chaves. Segundo ela, a companhia passa a ter mais disponibilidade para focar na sua atividade-fim e viabiliza o crescimento da atividade pesqueira via iniciativa privada.
Exportações

A concessão da área deve gerar impactos da ordem de 15% nas exportações de peixes e de lagostas realizadas pelo Ceará. Anualmente, cerca de 800 toneladas dos produtos pescados no cais devem ser exportadas pela Compex. A expectativa é que a empresa aumente seu faturamento atual em 15% - somente o cais pesqueiro deve gerar movimentação de até R$ 20 milhões por ano.

De acordo com o gerente-comercial da empresa, Leonardo Marinho, o local favorável pode potencializar o mercado pesqueiro nos próximos anos. “Como o cais está na orla, conseguimos controlar a qualidade da nossa matéria-prima e exportar produtos mais frescos e, consequentemente, mais atrativos”, explica. Ele reitera que o acesso direto ao mar permite maior rastreabilidade da carga, o que se torna positivo para investidores. “Em cinco anos, quem não rastrear seus produtos, vai perder mercado”, enfatiza Marinho.

Fonte: Jornal O Povo

voltar