+

Folder
digital

Notícia

 

05/12/2019
Porto do Itaqui no debate do corredor Centro Norte

O 32º Encontro sobre o Corredor Centro Norte, realizado no auditório do Sebrae Jaracaty, em São Luís  contou com a presença do ministro João Carlos Parkinson de Castro, diplomata do Ministério das Relações Exteriores; do secretário de Estado da Indústria e Comércio, Simplício Araújo; e do diretor da Agência Nacional de Transporte Aquaviário – Antaq, Adalberto Tokarski, entre outras autoridades. Em sua apresentação, Ted Lago destacou o modelo de gestão do Porto do Itaqui, baseado na construção de resultados integrados aos resultados do Maranhão.

De 2015 para cá, foram investidos R$ 232 milhões de recursos próprios em obras e serviços de manutenção de berços e vias, instalação de sistemas de segurança portuária e tecnologia. Já o conjunto de investimentos privados abrange novos arrendamentos para terminais de granéis líquidos e outros quatro projetos em andamento (terminais de combustíveis, celulose, fertilizante e a segunda fase do Tegram), que juntos somam R$ 1,4 bilhão, gerando emprego e renda.

O porto público do Maranhão também se destaca por sua posição geográfica, infraestrutura para armazenagem de grãos e combustíveis, berços para atracação de navios que variam de 12 a 19 metros de profundidade, eficiência operacional e como motor de desenvolvimento para toda essa região. “Essas condições fazem do Itaqui o canal preferencial para o escoamento da produção e abastecimento da região Centro Norte e também do Brasil Central”, afirma o presidente do Porto do Itaqui. Antes de sua fala sobre a construção de um Corredor, o ministro Parkinson comentou sobre a importância do Itaqui para o desenvolvimento dessa região.

“Eu fiquei muito satisfeito em conhecer os últimos números do Porto do Itaqui, a infraestrutura implantada e os novos projetos e, nesse cenário, a acessibilidade ferroviária é fundamental para a movimentação de cargas de maior valor agregado. Acho importante que se aprofundem as articulações entre as autoridades portuárias e os entes produtivos da área de influência”, comentou. Coube ao diretor da Antaq, Adalberto Tokarski, falar sobre as perspectivas do crescimento do transporte hidroviário interior com a visão de transporte intermodal e logística integrada. Sobre o porto público do Maranhão ele afirmou que a Autoridade Portuária do Itaqui é uma referência para o Brasil. “O Itaqui vem avançando bem, tem novas licitações de áreas para serem feitas, o que é importante porque amplia o escopo de atuação do porto. Para o Corredor Centro Norte é estratégico ter um porto estruturado e com a grande vantagem das ferrovias Carajás e Norte-Sul prontas”, disse.

O evento seguiu pela tarde com apresentações sobre a importância  do Maranhão e as potencialidades logísticas do Corredor Centro Norte, com secretário da Seinc, Simplício Araújo; e sobre metas e desafios das operações do Terminal 2 TEGRAM, com o gerente do empreendimento, Randal Luciano, entre outros temas.

Fonte: O Imparcial

voltar