+

Folder
digital

Notícia

 

01/10/2019
Codesp abre processo seletivo para exploração de três áreas no Cais do Saboó, no Porto de Santos

A Fábrica de Startups segue aumentando o portfólio de empresas âncoras na indústria de óleo e gás para estimular o desenvolvimento de inovação no segmento. Agora a aceleradora fechou parceria com a Subsea 7, empresa global especializada em engenharia e construção no setor de energia offshore. Nos próximos nove meses, a Fábrica de Startups e a Subsea 7 promoverão uma maratona de inovação que impactará 80 empreendedores, envolvendo etapas de semana de ideação, aceleração e roadshows - busca no mercado de startups mais maduras que estejam prontas para fazer negócio. Além do público externo, o programa irá trabalhar a cultura de inovação interna e o desenvolvimento de soluções disruptivas para o setor.

“Acreditamos que o setor de O&G e toda a cadeia envolvida tem grande potencial de inovação aqui no Rio de Janeiro, e a Subsea 7 está dando um passo importante”, avalia o Gestor de Inovação Corporativa da Fábrica de Startups, Lucas Cruz.

Os desafios do programa de aceleração estão em fase final de definição. O programa movimentará 30 startups divididas na aceleração e no roadshow. “O setor de energia offshore continua apresentando desafios empolgantes e a Subsea 7 acredita fortemente que o nosso relacionamento com a Fábrica de Startups Brasil apoiará o desenvolvimento de soluções inovadoras para o mercado de óleo e gás e potencialmente irá além”, diz Marcelo Xavier, Vice-Presidente da Subsea 7 Região Brasil.


As inscrições da semana de ideação, que filtrará quais startups integrarão o processo de aceleração, deverão ocorrer em novembro. No mesmo período, serão anunciados os desafios para os empreendedores desenvolverem as soluções.A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) lançou um processo seletivo simplificado para contratar empresas que poderão explorar três áreas do Cais do Saboó, no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. O objetivo é tornar produtivas as áreas nobres que estão sem uso.

De acordo com a autoridade portuária, serão celebrados contratos de transição, que permitem a exploração pela iniciativa privada de áreas hoje ociosas até que sejam ultimados os respectivos processos licitatórios para a assunção do novo arrendatário. A possibilidade está prevista na Resolução nº 07/2016 da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

De acordo com o edital, estão disponíveis três áreas portuárias com 19, 21 e 41 m² e que eram ocupadas pelo Terminal Marítimo do Valongo e pelo terminal da Rodrimar. As áreas estão abertas a receber propostas de diferentes proponentes sem restrições quanto à modalidade de cargas, desde que atendam a legislação. O edital está disponível no site e é aberto em caráter permanente.

O processo seletivo simplificado é composto por fases. Primeiro, inicia-se a apresentação de oferta por qualquer interessado que atenda às condições de participação. As propostas são avaliadas e as empresas selecionadas devem apresentar a documentação exigida. Por fim, os documentos devem ser aprovados pela Antaq para posterior assinatura do contrato de transição.

Fonte: G1

voltar