+

Folder
digital

Notícia

 

05/01/2019
Embarcação da MSC é atacada na costa africana e tripulantes estão desaparecidos
Vários membros da tripulação estão desaparecidos de um boxe MSC depois que foi atacado no Golfo da Guiné. O navio foi alvejado a 55 milhas (88,5 quilômetros) ao sul de Cotonou, Benin, pouco depois da meia-noite de 2 de janeiro, segundo a consultoria marítima Gray Page. Embora a embarcação não tenha sido identificada, vários relatórios de imprensa apontam para os 3.000 do seu MSC Mandy (construído em 1993). O rastreamento por satélite mostra que ele está atualmente no Golfo da Guiné ao largo de Lagos. "A MSC rapidamente garantiu a embarcação e sua carga e garantiu a segurança dos marítimos restantes a bordo", disse um porta-voz da companhia em um comunicado. "Por respeito aos tripulantes desaparecidos e suas famílias, a MSC não tem mais comentários por enquanto." Não está claro quantos membros da tripulação estão faltando e quantos estão seguros. Embora a pirataria tenha registrado declínios em outras partes do mundo, o Golfo da Guiné ainda é uma área problemática com significativa subnotificação, de acordo com especialistas em pirataria. Do que foi comunicado ao Departamento Marítimo Internacional, houve 33 incidentes nas águas ao largo da Nigéria - a leste do Benim - em 2017 e 41 nos primeiros três trimestres de 2018. Piratas na África Ocidental, disseram especialistas, geralmente seqüestram navios para roubar carga. Fonte: Mercado Marítimo

voltar