+

Folder
digital

Notícia

 

12/04/2019
Projeto “Brazil Brexit Watch” traz informações estratégicas para apoiar exportador nacional

Brasília – As empresas brasileiras que têm o Reino Unido no radar de exportação contam agora com mais um instrumento de apoio: o projeto “Brazil Brexit Watch”, desenvolvido pela Embaixada do Brasil em Londres, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Câmara de Comércio do Brasil na Grã-Bretanha.

A ideia é reunir uma gama de informações para apoiar os exportadores brasileiros com monitoramento constante de mudanças decorrentes do Brexit em aspectos tarifários, como novo regime tarifário a ser adotado pelo Governo britânico em caso de saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo (“no-deal”), aspectos logísticos, exigências alfandegárias e regulamentos.

No documento é possível encontrar desde informações mais básicas sobre o Brexit e seus possíveis impactos gerais até dados que vão apoiar uma mudança na estratégia de exportação de setores específicos, com foco nos que têm maior volume exportado pelo Brasil para o mercado britânico, como frutas frescas, produtos de origem animal, madeira, móveis, calçados, motores, metais e minérios. As informações disponíveis foram baseadas em decisões e publicações do Governo britânico sobre o Brexit e em estudos feitos pelo setor comercial da Embaixada e pela Apex-Brasil. O objetivo da iniciativa é minimizar os impactos do Brexit sobre os fluxos de comércio existentes e, é claro, apontar potenciais oportunidades para o exportador brasileiro.

Entre os principais riscos, estão possíveis atrasos nos portos, que podem gerar aumento de custos e comprometer certos tipos de carga. Estudo da LSE Consulting, por exemplo, indica que as operações em portos primariamente voltados para o comércio com a UE, como é o caso de Dover e Holyheard, poderão sofrer atrasos significativos com o aumento de exigências administrativas no comércio com a UE em um cenário de “no-deal”. O estudo aponta, ainda, estimativa da Associação Britânica Veterinária de que o volume de bens que necessitarão de inspeções veterinárias poderá aumentar em 325%.

A depender do seu formato final, o Brexit também poderá representar oportunidades. O Reino Unido é a quinta maior economia mundial e um dos principais mercados importadores globais, com compras internacionais equivalentes a 32% de seu PIB (£658 bilhões ao ano, em 2018). No setor de alimentos e bebidas, por exemplo, o país importa 50% do que consome, sendo que 60%, atualmente, vem da União Europeia. Com o Brexit, pode haver espaço para que as empresas brasileiras entrem na disputa por novas fatias desse mercado.

Estudo realizado pela consultoria Bertelmann Stiftung calculou o impacto do Brexit para determinados países. No caso do Brasil, poderia haver ganhos comerciais de até €1,7 bilhão ao ano em cenário de maior afastamento britânico do mercado comum e da união aduaneira europeia (“hard Brexit”) e €940 milhões de euros ao ano em cenário de maior proximidade do bloco europeu (“soft Brexit”).

Pesquisa

Como parte do projeto, a Embaixada do Brasil em Londres e a Apex-Brasil estão realizando pesquisa com empresários brasileiros para testar seu “apetite” pelo mercado britânico. Questionário foi enviado a mais de duas mil empresas no Brasil. A pesquisa ainda está em andamento e é possível participar clicando aqui.

Resultados parciais revelam que 76% das empresas respondentes acreditam que o Brexit poderá impactar suas exportações para o Reino Unido. Destas, 70% acreditam que o impacto poderá ser negativo, 10%, positivo, e 20% afirmam que depende ou não sabem.

Entre os principais impactos negativos citados estão a possibilidade de aumento de custos logísticos e alfandegários, entraves relacionados às exportações via Europa, maiores impostos de importação, exigências de novos cerificados distintos dos da UE, imposição de barreiras tarifárias e não tarifárias. Como potenciais impactos positivos, os empresários destacaram a possibilidade de melhoria das condições de competitividade dos produtos brasileiros, seja por imposição de impostos de importação aos produtos europeus, seja por redução de tarifas para produtos brasileiros.

A plataforma do “Brazil Brexit Watch” traz também informações que podem ser úteis ao exportador brasileiro em qualquer tempo, como lista de importadores britânicos.

Fonte: Comex do Brasil

voltar