+

Folder
digital

Notícia

 

22/03/2021
Safra recorde: agronegócio deve estar atento no momento de investir o resultado da produção agrícola.

O Brasil é um dos maiores exportadores mundiais de produtos agrícolas e, durante a pandemia, o setor tem contribuído fortemente para a retomada econômica. Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento mostram que as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 93,62 bilhões, entre janeiro e novembro de 2020, um incremento de 4,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, apesar das dificuldades logísticas que surgiram com a COVID-19.

Graças à forte conexão com o campo desde a fundação, o Sicredi tem uma longa parceria com o produtor rural e o agronegócio. Em 2021, a instituição financeira cooperativa anunciou a liberação de R$ 6,9 bilhões em crédito para o pré-custeio da Safra 2021/22. O recurso é uma opção para os associados que buscam antecipar a compra de insumos, com objetivo de gerar maior rentabilidade do campo. Somente no Plano Safra 2020/21, o Sicredi disponibilizou, até dezembro, R$ 15,3 bilhões em crédito rural, totalizando 136.488 operações. O valor representa um aumento de 23% em relação ao ano-safra anterior.

Investindo a safra para lucrar mais

A proximidade com o produtor rural favorece o Sicredi neste bom momento da colheita da safra, pois o relacionamento próximo é fundamental na hora de sugerir as melhores alternativas de investimento. São oferecidas várias soluções financeiras e opções de investimentos voltadas ao produtor rural que pretende rentabilizar ainda mais os resultados da safra que está colhendo. E, quando se trata de portfólio de investimentos, é fundamental a busca por uma instituição financeira confiável e a ajuda de um especialista. Essas são medidas essenciais para fazer as escolhas certas e alcançar a melhor rentabilidade, de acordo com as necessidades e perfil de cada produtor rural.

O Sicredi tem se destacado no mercado financeiro, uma vez que a instituição financeira cooperativa possui grau de investimento (ratings) concedido pelas três maiores agências de classificação de risco do mundo: Moody’s, Fitch Ratings e S&P Global. São conhecidas como The Big Three, o que reforça ainda mais a solidez financeira do sistema Sicredi.

Como a palavra do momento é diversificação, que tem como meta a busca por melhores resultados, o produtor rural encontra no Sicredi um portfólio completo para investir. São opções que vão desde produtos mais conservadores, como poupança, LCA, Sicredinvest e fundos de renda fixa, até investimentos com risco moderado e arrojado, como os fundos cambial, multimercado e de ações. O investidor pode ir até uma das agências ou marcar uma reunião on-line com um dos especialistas em investimentos para tirar dúvidas e compreender as vantagens de investir através da instituição financeira.

Além de potencializar os resultados da safra, o associado que investe no Sicredi ainda conta com os diferenciais da instituição financeira cooperativa, como a participação nos resultados gerados, o relacionamento mais próximo e a promoção do crescimento regional. O Sicredi tem como base o propósito de impulsionar o desenvolvimento econômico e social das regiões onde atua, garantindo mais prosperidade no campo e também nas cidades. Todo o recurso captado nas agências se transforma em mais capacidade de crédito para as mesmas regiões, um benefício para o associado e toda a sociedade.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Fonte: G1

voltar