+

Folder
digital

Notícia

 

21/12/2018
Renovação de arrendamento para fertilizantes é antecipada em Itaqui mirando o Arco Norte
A renovação antecipada do contrato de arrendamento celebrado entre a Companhia Operadora Portuária do Itaqui (COPI) e a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) tem como principal objetivo atender demandas atuais e futuras referentes à movimentação agrícola no Arco Norte. A prorrogação foi assinada no último dia 14 de dezembro e é válida por 20 anos. A antecipação do acordo foi autorizada pelo Governo Federal no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Para obter a prorrogação antecipada da área dedicada à movimentação de fertilizantes, a COPI se comprometeu a instalar um armazém com capacidade estática para 70 mil toneladas do produto e uma correia transportadora com capacidade de operar 1.250/ toneladas/hora, totalizando cerca de R$ 57 milhões em investimentos.

A nova estrutura ampliará a capacidade de movimentação anual da COPI de 80 mil toneladas para 3,5 milhões de toneladas de fertilizantes. De acordo com o comando do PPI, a instalação será a mais moderna do País como foco em fertilizantes, interligando o armazém ao berço 101 do Porto de Itaqui.

Segundo os dados estatísticos disponíveis no site da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) consultados pelo Portogente em 20 de dezembro de 2018, os portos públicos ainda são responsáveis por mais de 80% do volume de fertilizantes movimentados no Brasil, com grande concentração de operações nos portos da região Sudeste (Paranaguá e Santos) e da região Sul (Rio Grande), mais distantes dos mercados europeus e norte-americanos do que as instalações localizadas no Arco Norte.

Com a consolidação do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram) e o crescimento do volume de cargas movimentadas no Terminal de Uso Privativo da VLI, o Porto do Itaqui vem se consolidando como principal porta de saída da produção de grãos da região Centro-Norte do Brasil, registrando sucessivos recordes tanto em produtividade quanto em volume de movimentação de cargas. A atração de investimentos pela iniciativa privada é considerada fundamental para dar ao porto maranhense papel de destaque na logística do Arco Norte. Nesse sentido, a importação de fertilizantes tem ganhado cada vez mais destaque no portfólio de cargas do porto público maranhense. Em 2017 foram movimentadas 1,7 milhões de toneladas de fertilizantes e 2018 deverá ser concluído com índice superior a 2 milhões de toneladas - um recorde histórico.

Com a consolidação do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram) e o crescimento do volume de cargas movimentadas no Terminal de Uso Privativo da VLI, o Porto do Itaqui vem se consolidando como principal porta de saída da produção de grãos da região Centro-Norte do Brasil, registrando sucessivos recordes tanto em produtividade quanto em volume de movimentação de cargas. A atração de investimentos pela iniciativa privada é considerada fundamental para dar ao porto maranhense papel de destaque na logística do Arco Norte. Nesse sentido, a importação de fertilizantes tem ganhado cada vez mais destaque no portfólio de cargas do porto público maranhense. Em 2017 foram movimentadas 1,7 milhões de toneladas de fertilizantes e 2018 deverá ser concluído com índice superior a 2 milhões de toneladas - um recorde histórico.

Fonte: Portogente

voltar