+

Folder
digital

Notícia

 

12/11/2020
Embarque de café voltou a bater recorde em outubro

As exportações de café (verde, solúvel e torrado & moído) do país somaram 4,1 milhões de sacas de 60 quilos em outubro, 11,5% mais que no mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Foi um volume recorde para meses de outubro e o segundo melhor resultado mensal do ano.

A receita gerada pelos embarques cresceu 8,5% e alcançou US$ 509,6 milhões. O avanço da receita foi menor que o do volume porque o preço médio da saca caiu 2,7% na comparação, para US$ 124,52. Conforme o Cecafé, o volume das exportações de café arábica atingiu 3,3 milhões de sacas no mês passado, com incremento de 12,4%, enquanto o de café conilon registrou alta de 31,4%, para 471,8 mil sacas.

“As exportações tiveram ótima performance em outubro, destacando-se como o melhor resultado para o mês. Pelo segundo mês consecutivo, o país obteve um desempenho histórico inédito que culminou no melhor resultado para um quinto bimestre, com o volume acumulado em setembro e outubro de 8,3 milhões de sacas. As expectativas são da manutenção desses volumes nos próximos dois meses”, disse Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé, em nota.

De janeiro a outubro, as exportações de café alcançaram 35 milhões de sacas, 1,9% mais que em igual período de 2019 e o maior volume dos últimos cinco anos. A receita acumulada subiu 3% em relação aos primeiros dez meses do ano passado, para US$ 4,4 bilhões - também o melhor resultado nos últimos cinco anos. O preço médio da saca exportada subiu 1%, para US$ 126,6. No período, os embarques de arábica somaram 27,5 milhões de, em queda de 0,3%, e os de conilon cresceram 23,4%, para 4,2 milhões de sacas.

Já nos quatro primeiros meses desta safra 2020/21 (julho a outubro), as exportações também registraram o melhor resultado das últimas cinco temporadas em volume: foram 15 milhões de sacas, alta de 8,1% ante igual intervalo do ciclo anterior. A receita chegou a US$ 1,8 bilhão, 4,9% mais, e o preço médio recuou 3%, para US$ 121,15 por saca.

Fonte: Valor

voltar