+

Folder
digital

Notícia

 

02/09/2020
ZPE Ceará celebra 7 anos de operação com boas perspectivas para 2021

A Zona de Processamento de Exportação do Ceará – ZPE Ceará completou neste domingo (30), 7 anos de funcionamento com mais de 48,04 milhões de toneladas de cargas movimentadas. Para o diretor – presidente da empresa, Mário Lima, a perspectiva é de que a ZPE Ceará mantenha a sua linha de crescimento para os próximos anos. “Este ano, por causa da pandemia, vimos o setor econômico mundial ser afetado diretamente, mas não paramos. As operações da ZPE continuaram e o trabalho administrativo foi realizado remotamente”, destaca o presidente.

Mário lembra que a ZPE Ceará vive um momento importante para a história da economia do Estado com o anúncio do início das obras da expansão no primeiro semestre deste ano. “Estamos focados na prospecção de negócios para a ZPE Ceará, setor II, que em breve estará pronta para a instalação de novos empreendimentos”, pontua Lima.

A obra da expansão está, atualmente, com cerca de 15% de avanço, e o plano é de que seja entregue até o segundo semestre no ano que vem. O setor II da ZPE Ceará será divida em lotes de tamanhos variados, focados também em empreendimentos de médio e pequeno porte, aumentando as possibilidades de possíveis investidores para a expansão.

MOVIMENTAÇÃO

Entre as mercadorias que entram e saem pela área de livre comércio cearense estão minério de ferro, carvão mineral, placas de aço, gases industriais, fundentes, dentre outros. Até julho deste ano, foram registradas aproximadamente 6,5 milhões de toneladas movimentadas.

Segundo a diretora de operações, Andréa Freitas, um grande destaque no primeiro semestre deste ano foi o oxigênio produzido pela White Martins, uma das instaladas na ZPE. “Observamos que a demanda pelo material aumentou por causa da pandemia. Sua produção e movimentação adquiriram grande relevância no abastecimento de hospitais e unidades de saúde para tratar pessoas infectadas com o coronavírus. Em comparação ao período de janeiro a julho de 2019, o aumento na produção do gás este ano foi de 32,5%, chegando a quase 17 mil toneladas movimentadas”, diz a diretora.

INSPIRAÇÃO

A ZPE cearense, que continua sendo a única autorizada operando no país, hoje é exemplo para outros estados brasileiros que pretendem conceber uma Zona de Processamento de Exportação. A equipe gestora da empresa investe regularmente em estudos e melhorias, principalmente na área de tecnologia da informação, logística aduaneira e segurança da informação e proteção de dados.

Um dos aperfeiçoamentos implementados recentemente foi o acesso aos Gates principais da empresa com identificação e verificação de dados através de smartphones com leitura de QR-Code. “A nova medida traz mais agilidade, eficiência e segurança às operações. Entendemos as necessidades dos nossos clientes e buscamos conduzir nossas práticas sempre com o foco na segurança, saúde das pessoas. Além disso, com as melhorias, tornamos o trabalho realizado aqui no Estado mais atrativo para possíveis investidores”, pontua Andréa Freitas.

NOVO MODELO DE GESTÃO
Desde 2018, a ZPE Ceará é empresa subsidiária do Complexo do Pecém, composto também por uma Área Industrial e pelo Porto do Pecém, com a função de promover o desenvolvimento do Ceará através dos negócios gerados.

Com a chegada do Porto de Roterdã, que é acionista (30%) do complexo, junto com o Governo do Estado (70%), mudanças no modelo de gestão foram aplicadas. “Hoje somos uma única empresa, com um objetivo, e isso é muito favorável no cenário internacional. Demonstramos que estamos em sinergia e, assim, passamos mais segurança aos empresários/investidores”, diz o diretor de governança, Roberto de Castro.

Com a integração das duas empresas, um Centro de Serviço Compartilhado – CSC foi implementado. “Alguns setores foram unificados, como Recursos Humanos, Comunicação e Financeiro, possibilitando uma harmonização no que se refere a gestão de pessoas, além de possibilitar agilidade, padronização de entregas para público interno e externo e aumento na produtividade da empresa”, destaca Castro.

RECONHECIMENTO
Foi este ano que a ZPE cearense virou membro da World FreeZone Organization – WFZO. Segundo o presidente da empresa, Mario Lima, a filiação significa uma consolidação do reconhecimento internacional que a ZPE alcançou. “Estamos localizados em um ponto estratégico da América do Sul. Contamos no Complexo com uma forte estrutura organizacional, somados a expertise de Roterdã, e um equipamento de última geração que tem conquistado o mercado. Fazer parte da organização nos dá a oportunidade de trocar experiências e aprender novas práticas com as maiores ZPEs do mundo”, diz o presidente.

SUSTENTABILIDADE
Focada não só no desenvolvimento econômico, a empresa desde que começou a atuar, busca adotar práticas direcionadas a um progresso sustentável. “Nosso papel na economia estadual é fundamental, mas sabemos também da nossa importância para a sociedade. Buscar esse desenvolvimento consciente, dando, principalmente, oportunidades aos nossos cidadãos, é uma das premissas da ZPE Ceará”, destaca o diretor de Governança da ZPE, Roberto de Castro.

A ZPE do Ceará, atualmente, possui a certificação A3P, do Ministério do Meio Ambiente, o selo TCE Sustentável, do Tribunal de Contas do Ceará. Ambas certificações reconhecem órgãos /instituições que investem em responsabilidade socioambiental.

Fonte: Governo do Estado do Ceará

voltar