+

Folder
digital

Notícia

 

27/08/2020
Exportação de melão no Ceará dobra no primeiro semestre

A venda para o Exterior de melões cearense apresenta desempenho superior ao registrado no ano passado. Segundo divulgou a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Estado (Sedet) nesta quarta-feira, 26. A pasta destacou que enquanto nos seis primeiros meses de 2019 as vendas somaram US$ 6 milhões, neste ano, em igual período, a cifra registrada foi de US$ 14 milhões.
O cenário promissor para expansão atinge de forma mais consistente as produções agrícolas do Estado, em especial de frutas, segundo destacou a Sedet. A expectativa dos produtores é encerrar o ano com saldo até 10% maior do que o registrado ao fim de 2019.
A estimativa é promissora diante das incertezas geradas pela pandemia do novo coronavírus. Em especial por conta da propagação da Covid-19, alguns países que atualmente vivem cenários mais amenos da pandemia montaram novos parâmetros de higienização dos produtos importados.
“O mercado internacional está se normalizando para nossas frutas e está voltando com um dinamismo surpreendente ante as expectativas iniciais dos produtores em relação à Covid 19”, afirmou o secretário executivo do Agronegócio da Sedet, Sílvio Carlos. Ele destacou ainda que a maior produtora de melão do Ceará teve aumento de 67% na demanda de importação da fruta.

Um dos fatores que pode estar associado a esse aumento, em especial do melão, principal produto agrícola exportado pelo Ceará, pode ser a própria pandemia. Abalados pela crise da Covid-19, países europeus vêm apresentando dificuldades em contratar mão de obra para aumentar a produção e suprir a demanda sem necessidade de exportações.

A quadra chuvosa acima da média no Estado contribuiu para boa safra e com aumento da demanda, os produtores se organizam em busca de novos mercados. A Sedet pontuou que um dos próximos passos do setor será consolidar uma parceria de grandes exportações com a China.
Caso o país asiático aprove a qualidade do produto, bem como o controle sanitário e condições de transporte das frutas, a área de cultivo de melões no Brasil pode vir a dobrar. As informações foram fornecidas à Pasta pelo presidente do conselho de administração da Itaueira, conglomerado de empresas alimentícias de produção agrícola no Nordeste.

Segundo a Sedet, o início de um período ainda mais positivo para o setor de exportações de fruta pode ter início neste fim de semana. A referência da pasta é com relação ao primeiro grande embarque de frutas cearenses para o exterior em 2020. Segundo informou a pasta, a exportação da safra 2020/2021 será iniciada por um navio da MSC (Mediterranean Shipping Company) em direção a portos do norte da Europa e a depender da recepção no mercado local, demandas maiores podem surgir aos produtores cearenses.

Fonte: O Povo

voltar