+

Folder
digital

Notícia

 

04/08/2020
Fragata brasileira estava a 15 Km da entrada do porto na hora da explosão em Beirute

A Marinha do Brasil informou que a tripulação e a fragata Independência não foram atingidos pela explosão ocorrida em Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). Em nota, a força naval brasileira destacou que todos os militares componentes da Força Tarefa Marítima (Unifil) estão bem e não há feridos. "A Fragata Independência encontra-se operando no mar, normalmente. O navio estava distante do local onde ocorreu a explosão. Outras informações serão passadas tempestivamente", comunicou a Marinha.

Em entrevista à Globonews, o contra-almirante Salgueirinho, comandante da forca-tarefa marítima do Brasil no Líbano, contou que, no momento da explosão, a fragata brasileira realizava patrulha de rotina a cerca de 15 quilômetros da entrada do porto, quando perceberam uma onda de choque, seguida de um estrondo e de uma coluna de fumaça.

O Porto de Beirute é fundamental para o comércio do Líbano. Segundo o comandante Salgueirinho, cerca de 85% do tráfego marítimo dirigido ao Líbano utilizam o Porto de Beirute, outros 10% Porto de Tripoli, ao norte do país, e 5% Sídon, mais ao sul da capital. "Havendo impedimento de acesso ao porto, haverá dificuldade grande para o abastecimento do país que depende, fundalmente, desse porto e, seguramente, vai ser necessário escoar maior número de produtos pelos portos de Trípoli e Jiyeh (mais ao norte de Sídon)", afirmou.

Ele acredita que haverá impacto significativo se não houver como operar pelo menos 50% das instalações portuárias do porto atingido. O comandante disse ao canal de TV por assinatura que, como a explosão ocorreu entre o final da tarde e começo da noite local, é difícil avaliar as condições de utilização e operação das instalações portuárias em Beirute.

Fonte: Portos e Navios

voltar