+

Folder
digital

Notícia

 

20/02/2019
Aumenta o transporte no longo curso e na cabotagem
A navegação de longo curso brasileira transportou 822,8 milhões de toneladas. O número representa um crescimento de 2,25% em relação a 2017, quando foram transportadas 804,6 milhões de toneladas. As informações são da Gerência de Estatística e Avaliação de Desempenho da ANTAQ, disponíveis no Estatístico Aquaviário.

A carga que a navegação de longo curso mais transportou em 2018 foi o minério de ferro, com 406 milhões de toneladas. Em seguida, combustíveis (88,6 milhões de toneladas). Na terceira posição, sementes e frutos oleaginosos (84,8 milhões de toneladas). Em relação ao sentido, 674 milhões de toneladas (81,9%) foram exportação; e 148,7 milhões de toneladas, importação (18,1%).

Ainda sobre a navegação de longo curso, 520,4 milhões de toneladas (63,3%) passaram pelos portos privados brasileiros. Já pelos portos públicos, foram 302,3 milhões de toneladas (36,7%).

O transporte na navegação de cabotagem também cresceu em 2018: 2,98%. Foram 161,2 milhões de toneladas. Em 2017, esse número alcançou 156,6 milhões de toneladas. A carga que a navegação de cabotagem mais transportou em 2018 foi combustíveis minerais e óleos minerais, com 119 milhões de toneladas. Em seguida, minérios, e depois contêineres.

A movimentação em vias interiores foi de 98,7 milhões de toneladas no ano passado, queda de 3% em relação a 2017. No longo curso em vias interiores, foram movimentados 40,9 milhões de toneladas no ano passado. Na navegação interior, este número foi 37,3 milhões de toneladas. A cabotagem em vias interiores registrou 20,4 milhões de toneladas.

Levando-se em conta as vias interiores e as regiões hidrográficas, a Amazônica foi a que mais movimentou em 2018, com 59,8 milhões de toneladas. Logo depois, vem a Tocantins-Araguaia (32,9 milhões de toneladas). Em terceiro, a Atlântico Sul (sete milhões de toneladas).

Fonte: Antaq

voltar