+

Folder
digital

Notícia

 

21/05/2020
Diferente do Ceará, Maranhão afrouxa lockdown e anuncia retomada gradual da economia na próxima segunda

O Maranhão vai afrouxar o lockdown e permitir já na próxima segunda-feira, 25, o retorno gradual das atividades econômicas. A informação foi confirmada pelo governador do Estado, Flávio Dino.

“Nós teremos manutenção das regras vigentes até o próximo domingo. A partir do dia 25 de maio, nós vamos iniciar um processo gradual, com segurança, com a observância de normas sanitárias, de liberação das atividades econômicas”, destacou o governador.

Na lista de prioridades, as empresas “exclusivamente familiares” abrirão. “Esse processo iniciará a partir da próxima segunda-feira pelas empresas exclusivamente familiares, ou seja, estabelecimentos que trabalham somente o proprietário e pessoas do seu grupo familiar. Pequenas empresas que estejam situadas em qualquer cidade do Maranhão, menos no caso de shoppings.”

Atualmente o Maranhão conta com mais de 15 mil casos da COVID-19 e 634 óbitos, sendo o 7º do País com mais mortes.

Ceará
Ontem, 20, o governador Camilo Santana afirmou que o plano para retomada da economia do Ceará será concluído ainda nesta semana. Em transmissão ao vivo pelo Facebook, o petista falou que o estudo está sendo feito com a participação do setor produtivo, além das secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Econômico e Trabalho.

“Estaremos finalizando nesta semana o plano. Vai estar pautado nas condicionantes da saúde. Essa é a orientação para que possamos retomar a economia de forma gradativa”, ressaltou. No entanto, o governador não detalhou quais setores entrarão no rol de “prioridades”.

“Estou confiante com as ações que o Governo tem feito, com a ampliação do atendimento da saúde, com o isolamento social no Estado do Ceará, não tenho dúvida que, em breve, a gente vai iniciar, se Deus quiser, e também pela orientação dos especialistas, a retomada da economia do nosso Estado. Será feita de forma responsável e planejada. Não tomarei nenhuma decisão se não for pautada na ciência e na técnica, ouvindo sempre nossos especialistas”, pontou Camilo.

Fonte: Focus

voltar