+

Folder
digital

Notícia

 

29/04/2020
Agronegócio avança com Tereza Cristina e conquista novos mercados

Tom Prado, CEO da Itaueira Agropecuária e coordenador do Comitê Técnico de Fitossanidade da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), faz questão de ressaltar o papel importante que a agropecuária brasileira tem prestado ao País nesta crise de pandemia virótica.

Primeiro, ele alude ao esforço da ministra da Agricultura, Tereza Cristina que, pessoalmente, tem liderado o setor para garantir o abastecimento de gêneros alimentícios à população de todos os estados do País, numa ação transversal com outros ministérios, entre os quais o da Infraestrutura.

"Não há registro de qualquer problema de falta de alimentos nas cidades brasileiras - Fortaleza incluída, e essa normalidade é devido à convergência de esforços que orienta as diferentes áreas da cadeia produtiva do agronegócio", diz Prado.

Ele aproveita para de novo elogiar a ministra Tereza Cristina que, com o apoio de outros ministérios, obteve em pouco mais de um ano a abertura de quase 50 novos mercados em 23 países.

Tom Prado cita um levantamento da Frente Parlamentar do Agronegócio, que pormenoriza as missões empresariais chefiadas pela ministra da Agricultura, cujos resultados superaram as expectativas.

Só para a Índia, as exportações brasileiras de frango subirão de 7% a 8% nos próximos anos.

Na China, além do mercado de carnes, a ministra obteve uma grande vitória: a abertura do mercado para o melão brasileiro, que é todo produzido no Nordeste - o Ceará no meio.

EXPECTATIVA

Empresários da construção civil aguardam o resultado da reunião de hoje do Grupo de Trabalho, criado pelo governador Camilo Santana, que proporá, sob condições, a reabertura de algumas atividades econômicas.

Eles asseguram que - assim como os supermercados, as farmácias, a usina da CSP e as indústrias de produtos de higiene e limpeza - suas construtoras também estão prontas para voltar ao trabalho.

E asseguram que oferecerão aos seus operários e engenheiros as condições de segurança contra a Covid-19, incluindo escalas alternadas de trabalho.

ZERO A ZERO

Visivelmente triste e preocupado, o sócio e diretor de uma grande indústria cearense de tintas resumiu assim a situação de sua empresa, que emprega perto de 200 pessoas.

"Neste mês de abril, o faturamento de minha empresa foi zero porque estamos proibidos de funcionar".

E concluiu:

"Consequentemente, zero também será o nosso recolhimento de impostos".

COM MÁSCARAS

Ontem, esta coluna testemunhou o movimento comercial em ruas e avenidas da Aldeota.

Em um shopping center vertical, só uma loja âncora estava a funcionar, apoiada por liminar judicial.

Dentro dela, somente um cliente e seis funcionários - todos de máscara.

No andar térreo do prédio, o supermercado tinha bom movimento de pessoas, mas todas também mascaradas, protegendo-se do coronavírus.

DEVAGAR

Apesar do isolamento social, que esvaziou as ruas da cidade, seguem devagar as obras de modernização da Avenida Desembargador Moreira, entre as avenidas Pontes Vieira e a Beira-Mar.

E, igualmente, as de construção do novo viaduto sobre a BR-116.

A PMF torce para que as chuvas passem logo, para que tudo termine antes do Natal, quando - espera-se - os turistas estarão de volta - se houver aviões para trazê-los.

M. DIAS BRANCO

Para tornar suas marcas ainda mais acessíveis aos brasileiros neste momento de reclusão por conta de pandemia e para reforçar o apoio aos varejistas, a cearense M. Dias Branco, líder em massas e biscoitos no país, fechou parceria com o aplicativo Rappi. O objetivo é disponibilizar a entrega dos produtos de forma rápida e segura, diretamente na casa do consumidor, com algumas categorias a preços promocionais.

A ação tem abrangência nacional e envolve neste primeiro momento produtos das marcas Vitarella, Piraquê e Adria, além de biscoitos recheados Richester e o chocolate D-Tone. Os produtos selecionados por M. Dias Branco são oferecidos com descontos por unidade ou combos promocionais. Para comprar, basta acessar o aplicativo Rappi, pesquisar pelas marcas participantes e escolher a loja virtual de sua preferência.

“Esta medida faz parte do compromisso social da empresa como forma de enfrentarmos juntos um momento de dificuldades para todos, facilitando a acessibilidade de nosso portfólio”, destaca Adriana Sampaio, head de marketing digital de M. Dias Branco.

“O isolamento social está acelerando o processo de transformação digital do mercado, alterando o hábito de consumo e muitos negócios não estavam preparados para o varejo online. Devido à representatividade de nossa empresa para o segmento, estamos operacionalizando planos e ações com o objetivo de minimizar os impactos e auxiliar os varejistas na sustentabilidade de seus negócios”, acrescenta a executiva.

Fonte: Diário do Nordeste

voltar