+

Folder
digital

Notícia

 

13/03/2020
P-77 em operação após abalroamento com PSV, diz Petrobras

A Petrobras confirmou que ocorreu, na quinta-feira (12/3) uma colisão entre um PSV (transporte de suprimentos) e a FPSO P-77, que produz no Campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos. De acordo com a companhia, não houve vítimas e nenhum vazamento foi detectado. O navio-plataforma tem capacidade para produzir até 150 mil barris por dia de petróleo e comprimir seis milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

"A Petrobras iniciou imediatamente os procedimentos para análise do acidente e avaliação de eventuais danos. A plataforma segue produzindo normalmente", afirmou a petroleira em nota.

A Wilson Sons Ultratug Offshore, responsável pelo PSV Batuíra, disse que a embarcação sofreu danos materiais com o abalroamento, porém sem qualquer impacto ao meio ambiente ou à tripulação. Procurada pela reportagem, a empresa informou em nota que as causas do acidente estão sendo apuradas. "A empresa tem a segurança como valor e reforça que respeita os mais altos e rigorosos padrões de SMS (saúde, meio ambiente e segurança) em suas operações", acrescentou no comunicado.

Em operação desde 2012, o Batuíra tem 87,4 metros de comprimento, 16 metros de boca, calado de 6,19 metros, além de 4,5 mil toneladas de porte bruto e velocidade de 13 nós. A embarcação tem potência instalada de 6.512 kw, e sistema de propulsão diesel-elétrico. O PSV foi construído no estaleiro da Wilson Sons, no Guarujá (SP). A Wilson Sons Ultratug Offshore é uma joint venture entre o Grupo Wilson Sons e a chilena Ultramar.

Fonte: Portos e Navios

voltar