+

Folder
digital

Notícia

 

03/03/2020
Buscas por vítimas de naufrágio no Sul do Amapá entram no 4º dia de operação


Iniciou o 4º dia de buscas pelas vítimas do naufrágio da embarcação Anna Karoline 3, no Sul do Amapá, às 6h desta terça-feira (3). Segundo o Corpo de Bombeiros 18 corpos foram encontrados até o 3º dia de trabalho e há 12 desaparecidos.

No último boletim divulgado na segunda-feira (2), o governo estadual havia anunciado 22 pessoas desaparecidas. Nesta terça, o Corpo de Bombeiros corrigiu a informação.

O naufrágio aconteceu no sábado (29) e 46 pessoas foram resgatadas. Dos 18 corpos encontrados, oito foram trazidos à Macapá na segunda-feira para processo de identificação e necropsia na Polícia Técnico-Cientifica (Politec).

A informação inicial era de que a embarcação estaria com mais de 60 pessoas a bordo. O Corpo de Bombeiros chegou a afirmar que pelo menos 16 pessoas estavam desaparecidas. Mas, no domingo (1º), o subcomandante da corporação, coronel Janary Picanço, disse que não há um número oficial, pois a embarcação não tem uma lista de passageiros que oriente as buscas.

Ainda de acordo com o subcomandante, há uma lista de 30 desaparecidos; como foram encontrados 18 corpos, o número de pessoas desaparecidas diminuiu para 12.

Na segunda-feira, o subcomandante também informou que Estado busca recursos financeiros para remoção do navio, que se encontra há mais de 12 metros de profundidade no Rio Amazonas. A embarcação está inscrita como transporte de passageiros e cargas, informou a Marinha.

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Amapá atua na região com uma equipe de 18 mergulhadores de resgate (9 são do Amapá e 9 do Pará). De acordo com o Centro de Informações e Acolhimento às Vítimas, a Marinha encaminhou 28 militares para a região, e o trabalho também conta com suporte das prefeituras de Almeirim (PA), Gurupá (PA), Santana (AP) e Laranjal do Jari (AP).

O quartel do Corpo de Bombeiros de Santana é usado como Centro de Apoio e Acolhimento às vítimas do naufrágio.

Translado

Oito corpos chegaram à Macapá na segunda-feira: quatro no início da tarde e o restante por volta de 18h, todos vindo de uma base instalada no município de Gurupá, no Pará.

Eles foram os primeiros trazidos no translado feito com ajuda de uma aeronave enviada pelo estado do Pará. Dos 18 corpos, 8 foram identificados até última atualização desta reportagem.

Os governos do Amapá e do Pará definiram que todos os corpos encontrados no local do naufrágio passarão pelo processo de identificação e necropsia na Polícia Técnico-Cientifica (Politec) em Macapá.

Naufrágio

O Anna Karoline 3 saiu por volta das 18h de sexta-feira (28) de Santana, no Amapá, em direção a Santarém, no Pará. A viagem entre as duas cidades dura, em média 36, horas. A previsão de chegada em Santarém era às 6h de domingo (1º).

Mas a viagem foi interrompida na madrugada de sábado, próximo à Ilha de Aruãs e à Reserva Extrativista Rio Cajari, no Rio Amazonas. A região fica a 130 km de Macapá, em um local de difícil acesso e comunicação – o chamado de socorro foi feito às 5h, e o helicóptero de resgate do governo do estado só chegou ao local por volta das 14h de sábado.

Sobreviventes descreveram que chovia e ventava forte na hora do naufrágio. A Capitania dos Portos ainda vai investigar o que provocou o acidente. A Polícia Civil também instaurou um inquérito para apuração do caso.

A empresa dona do navio, Erlonave, informou que a embarcação estava alugada para um terceiro, que não sabe as causas do acidente, e que se solidariza com os sobreviventes e os familiares das vítimas.

Iniciaram nesta segunda-feira os velórios das primeiras vítimas do acidente, a professora Sudelma Araújo, de 44 anos, e Marlene Souza Alves, de 67 anos. No início da tarde também chegaram em Macapá, de helicóptero, mais 4 corpos do sinistro.


Fonte: G1 Amapá

voltar