+

Folder
digital

Notícia

 

07/01/2020
CLIA Global: 32 milhões de pessoas embarcarão em cruzeiros em 2020

A Cruise Lines International Association (CLIA), maior organização comercial da indústria de cruzeiros do mundo, publicou o relatório 2020 State of the Cruise Industry Outlook (Perspectivas sobre o Estado da Indústria de Cruzeiros para 2020). De acordo com a análise, a indústria de cruzeiros manteve 1.177.000 empregos, representando US$50,24 bilhões em salários e remunerações e US$150 bilhões em produção total em todo o mundo em 2018.

O relatório também revela um compromisso de todo o setor com práticas de turismo responsável, com foco na sustentabilidade ambiental e na gestão de destinos. O estudo destaca o investimento de US$22 bilhões da indústria no desenvolvimento de novas tecnologias de eficiência energética, parcerias com governos locais nos principais destinos e o compromisso de reduzir sua taxa de emissões de carbono em 40% até 2030, em comparação com 2008.

"Embora a demanda por cruzeiros tenha atingido novos patamares, a indústria de cruzeiros está acelerando nossos esforços para sermos líderes em turismo responsável", afirma Kelly Craighead, presidente e CEO da CLIA. "Os nossos membros estão na linha de frente das práticas recomendadas concebidas para proteger a integridade dos destinos que visitamos e melhorar as experiências dos viajantes e residentes."

Dados recentemente divulgados mostram que 32 milhões de passageiros deverão embarcar em cruzeiros em 2020. Para atender à demanda contínua, a CLIA Cruise Lines está programada para estrear 19 novas embarcações no próximo ano, resultando em um total de 278 navios de oceanos dos associados da CLIA, projetados para operar até o final de 2020.

O crescimento do setor resulta em progresso econômico positivo nas comunidades em todo o mundo. De acordo com a recém-lançada Análise de Impacto Econômico Global da CLIA para 2018, os passageiros gastam US$376 em cidades portuárias antes de embarcar em um cruzeiro e gastam US$101 em cada destino nos portos que visitam durante um cruzeiro. A América do Norte é responsável pela maior taxa de viajantes em cruzeiros, com 14,2 milhões de norte-americanos viajando em cruzeiros em 2018.

"O impacto econômico do setor é de grande importância, especialmente no que se refere às contribuições dos cruzeiristas às economias locais e à geração de postos de trabalho. Com esses números e expectativas positivas, aliados às principais tendências e a um perfil do atual cruzeirista tão bem traçado, temos uma excelente ferramenta para alavancar cada vez mais o nosso setor. No Brasil, as expectativas são boas e esperamos que a temporada 2019/2020 tenha um impacto na economia acima de R$ 2,2 bilhões, um aumento de cerca de 6% em relação ao período anterior", disse Marco Ferraz, presidente da CLIA Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos).

Fonte: Portos e Navios

voltar